Aposentadoria por idade do transgênero: direitos de personalidade e o acesso à justiça
Dirceu Pereira Siqueira
Centro Universitário de Maringá (Unicesumar)
Nayana Louise Saqui Pupo
Centro Universitário de Maringá (Unicesumar)
PDF
HTML

Palavras-chave

Transgênero
Previdenciário
Aposentadoria por idade
Direito de personalidade
Acesso à justiça

Resumo

É certo que muito ainda há que debater acerca do direitos transexuais, precisamente sob a seara do Direito Previdenciário, quando se trata de concessão ou readequação de benefícios. O presente artigo visa debater sobre as questões de negativa de concessão do benefício de Aposentadoria por Idade, seja urbano ou rural, bem como a negativa de readequação de cadastro previdenciário do segurado transgênero. Pela tema em tela, há a existência de um amparo constitucional e infraconstitucional ao transexual, como por exemplo, o princípio da dignidade humana, os direitos fundamentais e os direitos de personalidade. Todavia, apesar destes arcabouçou, existe uma omissão legislativa em especial ao transgênero, ficando este indivíduo a mercê de decisões “inovadoras” judiciais, isto é, em completa situação de insegurança jurídica e social. Salienta-se que a metodologia aplicada, consubstanciou-se em uma pesquisa qualitativa, dada a análise de dado indutivos, isto é, se realizou uma análise descritiva do fenômeno discriminador do direito do transexual no Direito Previdenciário. Baseou-se também em uma pesquisa exploratória, na construção de hipóteses na solução da problemática existente, ora, a omissão legislativa, bem como em pesquisas explicativas na investida de identificar a motivação desses fenômenos e por fim, teve-se pesquisas bibliográficas, tais como artigo científicos dispostos em revistas jurídicas e livros.

 
PDF
HTML

Referências

ARAUJO, Luiz Alberto David. A Proteção Constitucional Do Transexual. São Paulo: Saraiva, 2000.

AWAD, Fahd. O Princípio Constitucional da Dignidade da Pessoa Humana. Revista Justiça do Direito. Passo Fundo, v. 20. N. 1, p. 111-120, 2006.

BENVENUTO, Fernanda Moreira. CARDIN, Valéria Silva Galdino. Do Reconhecimento dos Direitos dos Transexuais Como um dos Direitos da Personalidade. Revista Jurídica Cesumar – Mestrado. v. 13. n. 1. p. 113-130, jan/jun, 2013.

BRASIL. Classificação Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde. Disponível em: http://www.cremesp.org.br/pdfs/cid10_ultimaversaodisponivel_2012.pdf. Acesso em: 11 jul. 2017.

BRASIL. Constituição (1988). Emenda Constitucional nº 91, 19 de fevereiro de 2016. Diário Oficial. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso em: 01 set. 2016.

COIMBRA, Clarice Helena de Miranda; QUAGLIOZ, Flaviano Ribeiro. Direitos Fundamentais e Direito da Personalidade. Revista eletrônica da Faculdade de Direito de Campos. Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, Abr. 2007. Disponível em: http://bdjur.stj.jus.br//dspace/handle/2011/18139. Acesso em: 15 out. 2018.

DINIZ, Maria Helena. Transexual, in dicionário jurídico, v. 4. São Paulo: Saraiva, 1998.

DWORKIN, R. Levando os Direitos a Sério. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

ESPÍNDOLA, Ruy Samuel. Conceito de Princípios Constitucionais. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1998.

FERNANDES, E.B.D. O Transexual e a Omissão da Lei: Um Estudo De Casos Paradigmáticos. Caderno Virtual, n. 21, v. 1 – Jan-Jun/2010.

LINDMEIER, Christian. WHO releases new International Classification of Diseases (ICD 11). World Health Organization. Disponível em: http://www.who.int/health-topics/international-classification-of-diseases. Acesso em: 04 jul. 2018.

LOPES, A.L.M.D. O Direito à Identidade de Gênero e ao nome Civil dos Transexuais: Uma Análise Do Atual Cenário e da Necessidade de Adequação das Normas Brasileiras. Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela PUC/RS. Porto Alegre, 2015.

MORAES, Alexandre de. Constituição do Brasil Interpretada e Legislação Constitucional. São Paulo: Atlas, 2002. p. 128.

PERES, Ana Paula Ariston Barion. Transexualismo: O direito a uma nova identidade sexual. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

QUADRINI, M.C.J; VENAZZI, K.F. O Direito Previdenciário dos Transexuais: Percepção dos benefícios de aposentadoria por tempo de contribuição e por idade. ROMED, v. 2, n. 2016.

RAMSEY, Gerald. Transexuais: Perguntas e respostas. São Paulo: GLS, p. 32, 1998.

SAVARIS, José Antônio. GONÇALVES, Mariana Amelia Flauzino. Compêndio de Direito Previdenciário. Curitiba: Alteridade Editora, 2018.

SEN, Amartya Kumar. Desenvolvimento como liberdade. Trad. Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SIQUEIRA, Dirceu Pereira. NUNES, Danilo Henrique. O Transgênero e o Direito Previdenciário: Omissão legislativa e insegurança jurídica no acesso aos benefícios. Revista Jus Poiesis. Rio de Janeiro, v. 21, n. 25, 2018, p. 50-67. 29 de abr/2018. Disponível em: http://revistaadmmade.estacio.br/index.php/jurispoiesis/article/viewFile/5022/2330. Acesso em: 15 out. 2018.

SIQUEIRA, Dirceu Pereira. NUNES, Danilo Henrique. CASTRO, Lorenna Roberta Barbosa. Minorias e grupos vulneráveis: a questão terminológica como fator preponderante para uma real inclusão social. Revista Direitos Sociais e Políticas Públicas – Unifafibe. v. 5, n. 1, 2017.

SZANIAWSKI, Elimar. Limites e Possibilidades do Direito de Redesignação do Estado Sexual. São Paulo: Editora RT, 1999.

VENTURA, M; SCHRAMM, F.R. Limites e Possibilidades do Exercício da Autonomia nas Práticas Terapêuticas de Modificação Corporal e Alteração da Identidade Sexual. Physis Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 2009.

WOLF, Guilherme Eidelwein; BUFFON, Marciano. Custeio da seguridade social no Brasil: a controvérsia acerca do suposto déficit previdenciário. Revista Direitos Sociais e Políticas Públicas – Unifafibe. v. 5, n. 1, 2017.
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.