Representações da crise ambiental na Música Popular Brasileira: sustentabilidade como direito humano
Rui Carlos Dipp Júnior
Universidade de Passo Fundo (UPF)
Sérgio Ricardo Fernandes de Aquino
Faculdade Meridional (IMED)
PDF

Palavras-chave

Crise ambiental
Música Popular Brasileira
Sustentabilidade

Como Citar

Dipp Júnior, R. C., & de Aquino, S. R. (2019). Representações da crise ambiental na Música Popular Brasileira: sustentabilidade como direito humano. Direito E Desenvolvimento, 10(1), 100-115. https://doi.org/10.26843/direitoedesenvolvimento.v10i1.980

Resumo

O presente trabalho tem como tema a crise ambiental e delimitou-se a pesquisar representações dessa conjuntura na música popular brasileira para se averiguar como a Sustentabilidade pode ser entendida como Direito Humano. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica cuja abordagem utilizada é o método hipotético-dedutivo. O objetivo geral é demonstrar como a crise ambiental, representada pela música popular brasileira, deve suscitar a importância da Sustentabilidade como genuíno Direito Humano. Conclui-se que, por meio da interdisciplinaridade, essa forma de manifestação artística pode favorecer o debate sobre a crise ambiental, porque as canções permitem a reflexão sobre o assunto no momento em que revelam ideias, pensamentos e sentimentos capazes de inspirar uma maior consciência nos seres humanos em relação à compreensão e importância da sustentabilidade em âmbito local e planetário.

PDF

Referências

AQUINO, Sérgio Ricardo Fernandes de. (Contra o) eclipse da esperança: escritos sobre a(s) assimetria(s) entre direito e sustentabilidade. [recurso eletrônico]. Itajaí, (SC): Editora da UNIVALI, 2017

AQUINO, Sérgio Ricardo Fernandes de. A mediação como experiência moral na pós-modernidade: reflexões ao desenvolvimento de uma política publica. In: FAGÚNDEZ, Paulo Roney Ávila; GOULART, Juliana Ribeiro;
GONÇALVES, Jéssica. Mediação como política pública. Florianópolis: EMais, 2018, p. 18.

AQUINO, Sérgio Ricardo Fernandes de. Por uma cidadania sul-americana: fundamentos para a sua viabilidade na UNASUL por meio da Ética, Fraternidade, Sustentabilidade e Política Jurídica. Saarbrücken: Novas Edições Acadêmicas, 2014.

COPLAND, Aaron. Como ouvir e entender música. São Paulo: É Realizações, 2013.

COSTA, Nelson Barros da. Música popular, linguagem e sociedade: analisando o discurso literomusical brasileiro. Curitiba: Appris, 2011.

DE FARIA, Claudia Maria Petry; HUPFFER, Haide Maria; TEIXEIRA, Paulo José Zimermann. Direito fundamental à qualidade do ambiente laboral e justiça do trabalho: uma abordagem empírica. Novos Estudos Jurí¬dicos, [S.l.], v. 23, n. 1, p. 158-187, abr. 2018. ISSN 2175-0491. Disponível em: . Acesso em: 14 fev. 2019. doi:http://dx.doi.org/10.14210/nej.v23n1.p158-187.

DIAS, Reinaldo. Sustentabilidade: origem e fundamentos; educação e governança global; modelo de desenvolvimento. São Paulo: Atlas, 2015.

HADOT, Pierre. O véu de Ísis: ensaio sobre a história da ideia de natureza. Tradução de Mariana Sérvulo. São Paulo: Loyola, 2006

OLIVEIRA, Regis Fernandes de. Direito e arte. São Paulo: Malheiros, 2017.

PASOLD, Cesar Luiz. Metodologia da pesquisa jurídica: teoria e prática. 13. ed. Florianópolis: Conceito Editorial, 2015.

SAAVEDRA, Fernando Estenssoro. História do debate ambiental na política mundial 1945-1992: a perspectiva latino-americana. Ijuí, (RS): Editora UNIJUÍ, 2014.

SEVERIANO, Jairo. Uma história da música popular brasileira: das origens à modernidade. 4. ed. São Paulo: Editora 34, 2017.

TAVARES, Isis Moura; CIT, Simone. Linguagem da música. Curitiba: InterSaberes, 2013.

WARAT, Luís Alberto. A rua grita Dionísio! direitos humanos de alteridade, surrealismo e cartografia. Tradução de Vívian Alves de Assis, Julio Cesar Marcellino Júnior e Alexandre Morais da Rosa. Rio de Janeiro: Lúmen Juris, 2010.

ZAGONEL, Bernadete. Arte na educação escolar. Curitiba: InterSaberes, 2012.
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Downloads

Não há dados estatísticos.