O mito da democracia digital no Brasil
Tassia Teixeira de Freitas Bianco Erbano Cavalli
PUCPR
Charles Emanuel Parchen
Cinthia Obladen de Almendra Freitas
PDF

Palavras-chave

Tecnologia da informação e Comunicação
Democracia Digital
Sociedades em Rede
Manipulação de Informação
Direitos Fundamentais

Como Citar

Cavalli, T., Parchen, C. E., & Freitas, C. (2021). O mito da democracia digital no Brasil. Direito E Desenvolvimento, 12(1), 112-127. https://doi.org/10.26843/direitoedesenvolvimento.v12i1.1330

Resumo

O debate político ocorre em diversos meios, incluindo redes sociais, as quais, por meio da utilização de algoritmos, alcançam inúmeras pessoas, o que causa profundas mudanças na democracia representativa. Com o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC’s), surge um cidadão que se manifesta na Internet e as redes sociais surgem como meios que instrumentalizam novas possibilidades. A partir dessa movimentação na Internet o cidadão conectado exerce a chamada democracia digital. Necessário analisar se a tecnologia de fato expande as liberdades dos indivíduos e o desenvolvimento dos países baseados na democracia ou será apenas um mito, modificando o espaço das manipulações.  O artigo analisa se de fato está-se diante de uma nova possibilidade ou se os cidadãos estão sendo apenas utilizados como fonte de dados, induzidos a reproduzir conteúdo. O trabalho de pesquisa seguiu o método dedutivo, passando pela fase exploratória, abordando a formação de uma democracia no espaço digital, de modo que as TIC’s transformaram de maneira significativa a participação do cidadão na vida política e democrática. A Internet deve proporcionar transparência e participação popular, num ambiente propício ao debate público, neutro e seguro. Caso contrário, está-se diante apenas de uma nova ferramenta de manipulação do cidadão. 

PDF

Referências

ALVES, Paulo. BIG DATA: o segredo por trás da eleição de Trump. SHOW ME TECH. 06/02/2017. Disponível em: . Acesso em: 02 dez. 2019.
BAUMAN, Zygmunt. Em busca da política. Tradução de: Marcus Penchel. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.
BRASIL. Câmara dos Deputados. E-Democracia. Sobre o portal e-democracia. Disponível em: . Acesso em: 02 dez. 2019.
BRASIL. Lei 12.965/2014. Marco Civil da Internet. Estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil.
CASTELLS, Manuel. A galáxia Internet: reflexões sobre Internet, negócios e sociedade. Tradução de: Rita Espanha. 2. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2007.
CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. 2. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.
CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da Internet. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.
CELLAN-JONES, Rory. Como o Facebook pode ter ajudado Trump a ganhar a eleição. BBC. 12 nov. 2016. Disponível em: . Acesso em: 02 dez. 2019.
CHEVALLIER, Jacques. O Estado pós-moderno. Belo Horizonte: Fórum, 2009.
DAHL. Robert A. Sobre a democracia. Tradução de: Beatriz Sidou. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2011.
DIÁRIO de Notícias. O documento que explica como a Cambridge Analytica ajudou a eleger Trump. 26/03/2018. Disponível em: . Acesso em: 02 dez. 2019.
FREITAS, Cinthia Obladen de Almendra. A Vulnerabilidade do Consumidor e a Exposição Pública na Internet. In: ROVER, Aires José; GALINDO, Fernando (Orgs.). III Encontro de Internacionalização do Conpedi. Universidade Complutense de Madrid. Madrid/Espanha: Ediciones Laborum, v. 9, pp. 76-101, 2015.
GABARDO, Emerson. Princípio constitucional da eficiência. São Paulo: Dialética, 2002.
GREENFIELD, Adam. Everyware: The dawning age of ubiquitous computing. New Riders, CA, 2006.
HINDMAN, Matthew. The myth of digital democracy. Princeton: Princeton University Press, 2009.
HIRST, Paul. A democracia representativa e seus limites. Tradução de: Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1992.
LINKEDLN. Sobre. Disponível em: . Acesso em: 02 dez. 2019.
MBL. Movimento Brasil Livre. Sobre. Disponível em: . Acesso em: 02 dez. 2019.
MOVIMENTO Vem Pra Rua. Sobre. Disponível em: . Acesso em: 02 dez. 2019.
MPL. Movimento Passe Livre. Sobre. Disponível em: . Acesso em: 02 dez. 2019.
NAÇÕES UNIDAS. Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe. CEPAL. Panorama Social da América Latina. Síntese. 2014. Disponível em: . Acesso em: 02 dez. 2019.
NINO, Carlos Santiago. Los escritos de Carlos S. Nino: derecho, moral y politica. Buenos Aires: Gedisa, 2007.
OXFORD Living Dictionaries. Definition of post-truth. Disponível em: . Acesso em: 02 dez. 2019.
PAMPLONA, Danielle Anne; FREITAS, Cinthia Obladen de Almendra. Exercício democrático: a tecnologia e o surgimento de um novo sujeito. Revista Pensar, Fortaleza, v. 20, n. 1, pP. 82-105, jan./abr. 2015.
PARISER, Eli. O filtro invisível. O que a Internet está escondendo de você. Tradução: Diego Alfaro. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.
RECUERO, Raquel. Diga-me com quem falas e dir-te-ei quem és: a conversação mediada pelo computador e as redes sociais na Internet. Revista FAMECOS, Porto Alegre, n. 38, abr. 2009.
SEN, Amartya. Desenvolvimento como Liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
VAIDHYANATHAN, Siva. The googlization of everything (and why should we worry). Berkeley: University of California Press, 2011.
WU, Tim. Impérios da comunicação. Do telefone à Internet, da AT&T ao Google. Tradução: Cláudio Carina. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Downloads

Não há dados estatísticos.