Solar energy as a sustainable development factor
Maria Marconiete Fernandes Pereira
Flávia de Paiva Medeiros de Oliveira
UNIPE
Wanderson Carvalho Silva
PDF (English)

Palavras-chave

Energia Solar
Sustentabilidade
Desenvolvimento sustentável
Matriz energética

Como Citar

Fernandes Pereira, M., de Paiva Medeiros de Oliveira, F., & Carvalho Silva, W. (2020). Solar energy as a sustainable development factor. Direito E Desenvolvimento, 11(1), 46-61. https://doi.org/10.26843/direitoedesenvolvimento.v11i1.1254

Resumo

O presente artigo examinar a possibilidade da utilização da energia solar como uma alternativa viável e necessária a diversificação da matriz energética do país, tendo em vista o potencial da região Nordeste. A abordagem é feita numa perspectiva de destacar a energia limpa e renovável e o esforço global da preservação do meio ambiente, consubstanciado em tratados e instrumentos jurídicos de Direito Internacional. Tendo como núcleo central a ideia de sustentabilidade. A abordagem metodológica aponta-se qualitativa, na qual se utilizará de levantamento legal e doutrinário na literatura jurídica. O texto divide-se em uma introdução que dá um panorama geral acerca da temática estudada, em seguida se subdivide em 3 (três) tópicos específicos que discutem a busca por alternativas para a matriz energética brasileira, considerando acerca da energia solar e, finalmente, a regulação dessa energia. Na pesquisa, constata-se a viabilidade econômica quando da expansão da instalação por essa matriz energética, bem como benefícios incrementais gerados ao meio ambiente, além da economia dos custos no setor produtivo.

PDF (English)

Referências

ANTUNES, Paulo de Bessa. Direito ambiental. 13. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2011. AMADO, Frederico. Direito ambiental. 8. ed. Salvador: Juspodivm, 2017.
COELHO, Marcos de Amorim ; TERRA, Lygia. Geografia do Brasil – espaço natural, territorial e socioeconômico brasileiro. 5 ed. São Paulo: Moderna, 2002.
BRASIL. Constituição (1824). Constituição Política do Império do Brazil, de 25 de março de 1824. Rio de Janeiro, mar. 1824.
BRASIL. Constituição (1891). Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil, de 24 de fevereiro de 1891. Rio de Janeiro, fev. 1891.
BRASIL. Constituição (1934). Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil, de 16 de julho de 1934. Rio de Janeiro, jul. 1934.
BRASIL. Constituição (1937). Constituição dos Estados Unidos do Brasil, de 10 de novembro de 1937. Rio de Janeiro, nov. 1937.
BRASIL. Constituição (1946). Constituição dos Estados Unidos do Brasil, de 18 de setembro de 1946. Rio de Janeiro, set. 1946.
BRASIL. Constituição (1967). Constituição da República Federativa do Brasil, de 24 de janeiro de 1967. Brasília, jan. 1967.
BRASIL. Constituição (1967). Emenda constitucional nº 1, de 17 de outubro de 1969. Brasília, out. 1969.
BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil, de 5 de outubro de 1988. Brasília, out. 1988.
BRASIL Agência Nacional de energia Elétrica (ANEEL). Resolução normativa nº 482, de 17 de abril de 2012. Estabelece as condições gerais para o acesso de microgeração e minigeração distribuída aos sistemas de distribuição de energia elétrica, o sistema de compensação de energia elétrica, e dá outras providências. Available at: http://www.aneel.gov.br/cedoc/ren2012482.pdf. Accessed on Feb 10, 2019.
COMPAGNONI, R. L. Empregos verdes como mecanismo de redução de impactos ambientais. Available at: . Accessed on: Aug 08, 2016.
COELHO, S. de O. P.; ARAÚJO, A. F. G. de. A sustentabilidade como princípio constitucional sistêmico e sua relevância na efetivação interdisciplinar da ordem constitucional econômica e social: para além do ambientalismo e do desenvolvimentismo. Available at: . Accessed on: Mar 03, 2016.
FEITOSA, Maria Luiza de A. M.; PEREIRA, Maria Marconiete F. (Org.). Direito Econômico da Energia e do Desenvolvimento – Ensaios interdisciplinares. São Paulo: Conceito Editorial, 2012.
GOLDEMBERG, José. Energia e sustentabilidade. Rev. Cult. e Ext. USP, São Paulo, n. 14. p. 33-43, nov. 2015. Available at: http://www.revistas.usp.br/rce/article/view/108256. Accessed on Jun 11, 2019
GONÇALVES, Oksandro Osdival. A extrafiscalidade como instrumento para incentivar a produção de energia renovável. In: CALIENDO, Paulo; CAVALCANTE, Denise Lucena (Org.). Tributação ambiental e energias renováveis. [recurso eletrônico] -- Porto Alegre, RS: Editora Fi, 2016.
GRAU, Eros Roberto. A ordem econômica na constituição de 1988. 11. ed. São Paulo: Malheiros, 2006.
LE PRESTRE, P. Ecopolítica Internacional. São Paulo: Senac, 2000.
OLIVEIRA, Mauro Márcio. Fontes de informações sobre a Assembléia Nacional Constituinte de 1987: quais são, onde buscá-las e como usá-las. Brasília: Senado Federal, Subsecretaria de Edições Técnicas, 1993.
ONU. Nosso futuro comum. 2 ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1991.
ONU. Transformando o nosso mundo: A Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável. 2015. Available at: < https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/>. Accessed on Dez 12, 2019.
PEREIRA, Enio et al. Atlas Brasileiro de energia solar. 2. ed. São José dos Campos: INPE, 2017.
PORTELA, Paulo Henrique Gonçalves. Direito internacional público e privado: incluindo noções de Direitos humanos e de Direito comunitário. 9. ed. Salvador: Juspodivm, 2017.
SILVA, R. M. Energia Solar no Brasil: dos incentivos aos desafios. Brasília: Núcleo de Estudos e Pesquisas/CONLEG/SENADO, Fev/2015 (Texto para Discussão nº 166). Available at: https://www12.senado.leg.br/publicacoes/estudos-legislativos/tipos-de-estudos/textos-para-discussao/td166. Accessed on Sep 23, 2019.
SIRVINSKAS, Luís Paulo. Manual de Direito Ambiental. 16. ed. São Paulo: Saraiva Educação, 2018.
TAVARES, André Ramos. Direito constitucional econômico. 3. ed. São Paulo: Método, 2011.
TAQUES, F. H.; LOPES, M.C. O Desafio da Energia Sustentável no Brasil. Revista Cadernos de Economia, Chapecó. v. 20, n. 36, p. 71-96, 2016. Available at: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/rce/article/viewFile/4478/2500. Accessed on Jun 11, 2019.
BP ENERGY ECONOMICS. BP Statistical Review of World Energy. London, UK, 68th edition, June, 2019.
XAVIER, Yanko Marcius de Alencar; GUIMARÃES, Patricia Borba Vilar. Direito das energias renováveis. Fortaleza: Fundação Konrad Adenauer, 2010.
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Downloads

Não há dados estatísticos.