Core crimes ou as violações mais graves aos direitos humanos: a negação aos direitos da personalidade
Dirceu Pereira Siqueira
Centro Universitário de Maringá - Unicesumar
Lígia Maria Lario Fructuozo
Centro Universitário de Maringá - UNICESUMAR
PDF

Palavras-chave

Direitos Humanos
Tribunal Penal Internacional
Crime de Genocídio
Crime contra a Humanidade
Crime de Guerra
Crime de Agressão

Como Citar

Siqueira, D., & Fructuozo, L. (2020). Core crimes ou as violações mais graves aos direitos humanos: a negação aos direitos da personalidade. Direito E Desenvolvimento, 11(1), 75-91. https://doi.org/10.26843/direitoedesenvolvimento.v11i1.1231

Resumo

O presente trabalho científico tem o intuito de realizar uma breve análise sobre o chamado core crimes, que constituem os crimes tipificados no Estatuto de Roma, instrumento fundante do Tribunal Penal Internacional. Abordará de maneira concisa o processo de criação deste órgão, destacando seu caráter permanente e complementar. Após, serão analisados os crimes previstos no rol do Estatuto de Roma, quais sejam: crime de genocídio, crimes contra a humanidade, crimes de guerra e crime de agressão. Neste contexto, será examinado, ao final, a ausência do crime de terrorismo no rol dos crimes de competência do TPI, evidenciando como poderão ser condenados os indivíduos acusados de perpetrarem este crime igualmente bárbaro visando a total proteção da dignidade da pessoa humana.

PDF

Referências

AMARAL, Sérgio Tibiriçá. et. al. ‘Observações Escritas à Solicitação de Opinião Consultiva nº 25. Presidente Prudente: Centro Universitário Antonio Eufrásio de Toledo de Presidente Prudente, 2017. Disponível em: . Acesso em 15-fev-2018.
AMARAL, Sérgio Tibiriçá;TEBAR, Wellington Boigues Corbalan. O código de processo constitucional no Brasil para evitar a omissão inconstitucional judicial. In: VELANDIA CANOSA, Eduardo Andrés (Coord.). Derecho procesal constitucional. tomo I, vol. 2, Bogotá: VC Editores, 2011, p. 194-213.
BARATA, João Manuel Pereira Lopes de Carvalho. O terrorismo como crime internacional. Porto: Católica Porto, 2014
BASSIOUNI, M. Cherif. From Versailles to Rwanda in seventy-five years: the need to establish a permanent international criminal court. Harvard Human Rights Journal, n. 10. Cambridge, Nov. 1997, p. 11-63.
BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. Tradução: Carlos Nelson Coutinho, 7. ed., Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.
BOBBIO, Norberto. O futuro da democracia. 7. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.
Casos de terrorismo no TPI. Site da CSNU-Minionu. Disponível em: Acesso em 25 jun. 2018.
CALDERÓN-VALENCIA, Felipe; ESCOBAR-SIERRA, Manuela. L’articulation de la juridiction spéciale pour la paix avec la justice ordinaire en matière d’extradition: les enjeux politiques du cas Jesus Santrich dans le contexte du post-conflit Colombien. Revista Direitos Sociais e Políticas Públicas – Unifafibe. V. 7, N. 1, 2019.
CRETELLA NETO, José. Curso de direito internacional penal. Ijuí: Unijuí, 2008.
CIARLINI, Léa Martins Sales; CIARLINI, Alvaro Luis de Araujo. A estrutura das políticas públicas e os paradoxos da intervenção judicial por meio da ação civil pública: uma análise a partir dos cinco estágios do ciclo político-administrativo de Michael Howlett, Ramesh e Perl. Revista Direitos Sociais e Políticas Públicas – Unifafibe. V. 7, N. 1, 2019.
ELSTER, Jon. Transitional justice in historical perspective. New York: Cambridge University Press, 2004.
FERREIRA, Olavo Augusto Vianna Alves; LEHFELD, Lucas de Souza; SIQUEIRA, Dirceu Pereira. A imunidade parlamentar segundo o supremo tribunal: análise do precedente sobre a prisão do senador Delcídio Amaral frente aos direitos da personalidade. Revista Direitos Sociais e Políticas Públicas – Unifafibe. V. 7, N. 2, 2019.
FERREIRA, Vladmir de Campos Pacheco Pires Ferreira. Terrorismo e justiça internacional. Disponível em: < http://centrodireitointernacional.com.br/static/revistaeletronica/volume10/arquivos_pdf/sumario/Artigo%20-%20Vladmir%20de%20Campos%20Pacheco%20Pires%20Ferreira.pdf> Acesso em 25 jun. 2018.
FLORIANI, Lara Bonemer Rocha; SANTOS, Luccas Farias. A hierarquia dos tratados internacionais e seus reflexos jurídicos e extrajurídicos. Revista Direitos Sociais e Políticas Públicas – Unifafibe. V. 7, N. 1, 2019.
GORAIEB, Elizabeth. Tribunal penal internacional: trajetórias legais em busca de justiça. São Paulo: Letras Jurídicas, 2012.
JANKOV, Fernanda Florentino Fernandez. Direito Internacional Penal: mecanismo de implementação do Tribunal Penal Internacional. São Paulo: Saraiva, 2009.
MAIA, Marrielle. Tribunal Penal Internacional: aspectos institucionais, jurisdição e princípio da complementaridade. Belo Horizonte: Del Rey, 2001.
MAZZUOLI, Valério de Oliveira. Tribunal penal internacional e o direito brasileiro. 2 ed. rev. e amp. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2009.
POWER, Samantha. Genocídio: a retórica americana em questão. Tradução: Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.
ROSSIGNOLI, Marisa; SOUZA, Francielle Calegari de. O princípio constitucional da livre concorrência frente a política do desenvolvimento sustentável. Revista Direitos Sociais e Políticas Públicas – Unifafibe. V. 7, N. 1, 2019.
SABÓIA, Gilberto Vergne. A criação do Tribunal Penal Internacional. Disponível em: . Acesso em 03 mai. 2014.
SIQUEIRA, Dirceu Pereira; CASTRO, Lorenna Roberta Barbosa. Minorias e grupos vulneráveis: a questão terminológica como fator preponderante para uma real inclusão social. Revista Direitos Sociais e Políticas Públicas – Unifafibe. V. 5, N. 1, 2017.
SIQUEIRA, Dirceu Pereira. A dimensão cultural do direito fundamental à alimentação. Birigui: Boreal, 2013.
STURZA, Janaína Machado; RODRIGUES, Bruna dos Passos. Diálogos entre políticas públicas e direito à saúde: as audiências públicas enquanto instrumento de participação popular sob a perspectiva da teoria da ação comunicativa de Habermas. Revista Direitos Sociais e Políticas Públicas – Unifafibe. V. 7, N. 2, 2019.
SUNGA, Lyal S. A competência ratione materiae da Corte Internacional Criminal: arts. 5 a 10 do Estatuto de Roma. In: CHOUKR, Fauzi Hassan; AMBOS, Kai (Org). Tribunal Penal Internacional. São Paulo: Editora dos Tribunais, 2000.
TEITEL, Ruti. Transitional justice genealogy. Harvard Human Rights Journal. vol. 16, 2003.
TRINDADE, Antônio Augusto Cançado. A proteção internacional dos direitos humanos: fundamentos jurídicos e instrumentos básicos. São Paulo: Saraiva, 1991.
A humanização do direito internacional. Belo Horizonte: Del Rey, 2006.
TRINDADE, Antônio Augusto Cançado. A humanização do direito internacional. Belo Horizonte: Del Rey, 2006.
TRINDADE, Antônio Augusto Cançado. Desafios e conquistas do direito internacional dos direitos humanos no início do século XXI. In: MEDEIROS, Antônio Paulo Cachapuz de. (Org.). Desafios do direito internacional contemporâneo. Brasília: Fundação Alexandre de Gusmão, 2007.
TRINDADE, Antônio Augusto Cançado. O esgotamento dos recursos internos em experimentos contemporâneos das Nações Unidas de proteção dos direitos humanos. Revista Informativo Legislativo de Brasília, n. 77, 1983, p. 201-244.
TRINDADE, Antônio Augusto Cançado. Reminiscencias de la Corte Interamericana de Derechos Humanos en cuanto a su jurisprudencia en materia de reparaciones. In: BOGDANDY, Armin Von; MAC-GREGOR, Eduardo Ferrer; ANTONIAZZI, Mariela Morales. (org.) La justicia constitucional y su internacionalización: ¿Hacia un ius constitucionale commune en América Latina?. Tomo II, Ciudad Universitaria: Instituto de Investigaciones Jurídicas, 2010, p. 189-214.
ZEIFERT, Anna Paula Bagetti. Pensar as políticas públicas a partir do enfoque das capacidades: justiça social e respeito aos direitos humanos. Revista Direitos Sociais e Políticas Públicas – Unifafibe. V. 7, N. 1, 2019.
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Downloads

Não há dados estatísticos.