Ambiente de negócios, insegurança jurídica e investimentos: elementos para a formulação de políticas públicas no Brasil
Luiz Ricardo Mattos Teixeira Cavalcante
Senado Federal / Consultoria Legislativa
PDF

Palavras-chave

Ambiente de negócios
Insegurança jurídica
Investimentos
Políticas públicas
Apagão das canetas

Como Citar

Cavalcante, L. R. (2021). Ambiente de negócios, insegurança jurídica e investimentos: elementos para a formulação de políticas públicas no Brasil. Direito E Desenvolvimento, 12(1), 82-96. https://doi.org/10.26843/direitoedesenvolvimento.v12i1.1223

Resumo

O objetivo deste trabalho é sistematizar os aspectos de natureza institucional que concorrem para os baixos níveis de investimento no Brasil. Com base em dados do Banco Mundial e da Fondation pour le droit continental, esses aspectos são associados i) à precariedade do ambiente de negócios; e ii) aos elevados níveis de insegurança jurídica no país. A precariedade do ambiente de negócios é atribuída a três aspectos: i) carência de incentivos para que os agentes públicos busquem simplificar procedimentos no âmbito da administração pública; ii) reduzido rule of law, que induz à imposição de uma excessiva e rigorosa fiscalização ex ante; e iii) exigências redundantes resultantes da ausência de coordenação entre os diversos órgãos de governo e entre os entes da federação. Em particular, a carência de incentivos para simplificar procedimentos caracteriza uma espécie de “apagão das canetas”, uma vez que os agentes públicos evitam dar sequência aos processos burocráticos por temerem posterior questionamento judicial de seus atos. A insegurança jurídica é atribuída aos seguintes aspectos: i) existência de normas ambíguas e dispersas e, portanto, sujeitas a múltiplas interpretações; e ii) instabilidade jurisprudencial, que é caraterizada pela multiplicidade e pela dissonância de entendimentos no momento de aplicação das normas jurídicas. Busca-se, assim, reunir elementos para a formulação de políticas públicas capazes de elevar as taxas de investimento no Brasil por meio da melhoria do ambiente de negócios e da redução da insegurança jurídica.

PDF

Referências

BORGES, C. A. A segurança jurídica que o setor produtivo espera. Brasília: CNI, 2017. Disponível em http://www.portaldaindustria.com.br/cni/canais/atuacao-juridica/boletim/1-edicao/seguranca-juridica-que-o-setor-produtivo-espera/. Acesso em 16 maio 2019.
BUGARIN, M. MENEGUIN, F. B. Incentivos à corrupção e à inação no serviço público: uma análise de desenho de mecanismos. Estudos econômicos, v. 46, n. 1, p. 43-89, 2016.
CAVALCANTE, L. R. Misty consensus, messy dissensus: paradoxes of the Brazilian innovation policies. INMR - Innovation & Management Review, v. 15, n. 4, p. 373-385, 2018.
CAVALCANTE. L. R. Ambiente de negócios, investimentos e produtividade. In: DE NEGRI, F.; CAVALCANTE, L. R. Produtividade no Brasil: desempenho e determinantes. Brasília: Ipea, 2015. v. 2 (determinantes).
DIAS, G. B.; CAVALCANTE. L. R. Custos, insegurança jurídica e terceirização: percepção das empresas. Direito & Desenvolvimento, v. 10, n. 2, p. 223-240, jul./dez. 2019.
COHEN, S.; EIMICKE, W. The overregulated civil service. Review of Public Personnel Administration, v. 14, n. 2, p. 11–27, 1994.
DEFFAINS, B.; KESSEDJIAN, C. Index de la sécurité juridique: Rapport pour la Fondation pour le droit continental, Mai 2015. Disponível em https://goo.gl/Vq6kC1. Acesso em 16 maio 2019.
FIUZA, E. P. S. Licitações e governança de contratos: a visão dos economistas. In: SALGADO, L. H.; FIUZA, E. P. S. (Orgs.). Marcos regulatórios no Brasil: é tempo de rever regras? Brasília: Ipea, 2009. v. 2.
INTERNATIONAL BANK FOR RECONSTRUCTION AND DEVELOPMENT / THE WORLD BANK. World Development Report: Governance and the Law 2017. International Bank for Reconstruction and Development / The World Bank, 2017. Disponível em https://goo.gl/t3ZLOc. Acesso em 16 maio 2019.
INTERNATIONAL BANK FOR RECONSTRUCTION AND DEVELOPMENT / THE WORLD BANK. Doing Business 2019: Training for Reform. Washington (DC): International Bank for Reconstruction and Development / The World Bank, 2019.
MATION, L. Comparações internacionais de produtividade e impactos do ambiente de negócios. In: DE NEGRI, F.; CAVALCANTE, L. R. Produtividade no Brasil: desempenho e determinantes. Brasília: Ipea, 2014. v. 1 (desemepenho).
PINHEIRO, A. C. A justiça e o custo Brasil. Revista USP, n. 101, p. 141-158, 2014.
PINHEIRO, A. C. Segurança jurídica, crescimento e exportações. Rio de Janeiro: IPEA, out. 2005 (texto para discussão nº 1125).
SANTANO, A. L. W.; PAMPLONA, D. A. Acesso à informação no judiciário: necessários aprimoramentos para uma accountability social. Direito & Desenvolvimento, v. 10, n. 1, p. 152-168, jan./jun. 2019.
SZTAJN, R. Direito comercial e desenvolvimento econômico. Direito & Desenvolvimento, v. 8, n. 2, p. 11-21, 2017.
YAKOVLEV, A. State capitalism and incentives for bureaucracy in non-democratic political setting: Chinese vs. Russian experience. EACES Workshop on State Capitalism, Moscow, HSE, Apr. 2019.
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Downloads

Não há dados estatísticos.