Humanização da equipe de enfermagem no parto: um direito que assiste a parturiente
Camila Teixeira de Carvalho Dias
Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ)
Érica Cristina do Nascimento Lopes
Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ)
Marina Sarmento Braga Ramalho de Figueiredo
Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ)
Rayla Borges Martins
Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ)
Alridiany Ferreira Miranda
Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ)
PDF

Palavras-chave

Parto humanizado
Humanização
Enfermagem

Como Citar

Dias, C., Lopes, Érica C., Figueiredo, M., Martins, R., & Miranda, A. (2019). Humanização da equipe de enfermagem no parto: um direito que assiste a parturiente. Revista InterScientia, 7(1), 181-199. https://doi.org/10.26843/interscientia.v7i1.681

Resumo

O presente estudo tem objetivo principal avaliar a humanização da assistência da enfermagem no parto. A pesquisa foi do tipo exploratório-descritiva, com abordagem quantitativa. A coleta de dados foi realizada mediante a aplicação de um questionário estruturado, contendo questões fechadas, que foram aplicados com 23 puérperas que haviam se submetido ao parto na Maternidade Cândida Vargas, localizada em João Pessoa-PB, onde foi aplicado em dias úteis, no período da tarde, no mês de setembro e outubro 2017. Verificou-se, uma predominância de puérperas faixa etária entre 18 a 25 anos, que possuíam ensino médio e eram solteiras. Verificou-se uma satisfação das puérperas em relação à assistência recebida, onde relataram que receberam uma assistência humanizada, tiveram o direito da presença do companheiro, houve o contato imediato entre mãe e bebê, a amamentação aconteceu logo após o parto, o cordão umbilical só foi cortado de 1 a 3 minutos após o nascimento, tiveram suas privacidades mantidas e, em nenhum momento ouviram palavras que as deixassem constrangidas. No entanto, foram identificadas algumas fragilidades, de maneira que a maioria delas não teve o direito de escolher a posição do parto e não oferecido líquidos no momento do parto.

PDF

Referências

ALMEIDA, O. S. C.; GAMA, E. R.; BAHIANA, P. M. Humanização no parto: a atuação dos enfermeiros. Revista Enfermagem Contemporânea. v.4, n.1, p. 79-90, 2015.

ANDRADE, C. Acesso ao ensino superior no Brasil: equidade e desigualdade social. São Paulo, 2012. Disponível em: . Acesso em: 05 nov. 2017.

BRASIL. Lei n° 7.498/86 de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regularização do exercício de enfermagem e dá outras providencias. Brasília, 1986. Disponível em: . Acesso em: 05 nov. 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria nº 371, de 7 de maio de 2014. Institui diretrizes para a organização da atenção integral e humanizada ao recém- nascido (RN) no Sistema Único de Saúde(SUS). Brasília, 2014. Disponível em: . Acesso em: 05 nov. 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Diretriz Nacional de Assistência ao Parto Normal. Relatório de recomendação. Brasília, 2016. Disponível em: < http://conitec.gov.br/images/Consultas/2016/Relatorio_Diretriz-PartoNormal_CP.pdf>. Acesso em: 05 nov. 2017.

CAGNIN, E. R. J.; MAMEDE, M. V.; MAMEDE, F. V. Atenção qualificada ao trabalho de parto: um estudo descritivo. Revista de enfermagem UFPE online, v.8, n. 10, p. 3266-3274, 2014.

CUNNINGHAM, F. G.; LEVENO, K. J.; BLOOM, S. L. Williams Obstetrics. 23 ed. New York: McGraw-Hill, 2010.

DELPISHEH, A. et al. Pregnancy late in life: a hospital: based study of birth outcomes. Journal of women’s health, v. 17, n.6, p. 965-970, 2008.

FERREIRA, A. G. N. et al. Humanização do parto e nascimento: acolher a parturiente na pespectiva dialógica de Paulo Freire. Rev enferm UFPE on line, v. 7, n.5, p. 1398-1405, 2013. Doi:10.5205/reuol.3960-31424-1-SM.0705201319

GOMES, A. R. M. et al. Assistência de enfermagem obstétrica na humanizaççao do parto normal. Revista Recien, v. 4, n. 11, p. 23-27, 2014. http://dx.doi.org/10.24276/rrecien2358-3088.2014.4.11.23-27

GONÇALVES, R. et al. Vivenciando o cuidado no contexto de uma casa de parto: o olhar das usuárias. Revista escola enfermagem, v. 45, n. 1, p. 62-70, 2011.

JAMAS, M. T.; HOGA, L. A. K.; TANAKA, A. C. A. Mother’s birth care experiences in Brazilian birth centr. Midwifery, v. 27, n.1, p. 693-699, 2011.

MPPE – Ministério Público de Pernambuco. Humanização do parto. Nasce o respeito: informações práticas sobres seus direitos / Organização, Assessoria Ministerial de Comunicação; Coordenação, M. S. M. O; Redação, A. C. R. C.; M. M. O. Revisão Técnica, Comitê Estadual de Estudos de Mortalidade Materna de Pernambuco. -- Recife: Procuradoria Geral de Justiça, 2015. Disponível em: . Acesso em: 05 nov. 2017.

NAGAHAMA, E. E. I.; SANTIAGO, S. M. Parto humanizado e tipo de parto: avaliação da assistência oferecida pelo Sistema Único de Saúde em uma cidade do sul do Brasil. Revista Brasileira de Enfermagem Materno Infantil, v. 11, n. 4, p. 415-425, 2011.

SALARI, Z. et al. Late umbilical cord clamping, neonatal hematocrit and Apgar scores: A randomized controlled trial. Journal or neonatal-Perinatal Medicine, v. 7, n. 4, p. 287-291, 2014.

SILVA, R. S.; CAMPOS, A. E. R.; PEREIRA, A. Caring for the patient in the process of dying at the intensive care unit. Rev Esc Enferm USP. v. 45, n. 3, p. 735-40, 2011.

SILVA, A. L. A. et al. Avaliação da assistência hospitalar materna e neonatal: índice de completude da qualidade. Rev Saúde Pública, v. 48, n. 4, p. 682-691, 2014.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Indicadores sociais sobre a mulher. 2017. Acesso em: . Disponível em: 05 nov. 2017.

VICTORA et. al. Breastfeeding in the 21st century: epidemiology, mechanisms, and lifelong effect. The Lancet. Disponível em: < https://repositorio.bc.ufg.br/tede/bitstream/tede/7368/5/Disserta%C3%A7%C3%A3o%20-%20Romilda%20Rayane%20Godoi%20Souza%20-%202017.pdf.>. Acesso em: 04 Nov. 2017.

VICTORA, C. G. et al. Breastfeeding in the 21st century: epidemiology, mechanisms, and lifelong effect. The Lancet, v. 387, n. 10017, p. 475-490, 2016.

WHO - WORLD HEALTH ORGANIZATION. WHO statement on Caesarean section rates. 2015. Disponível em: < http://www.who.int/reproductivehealth/publications/maternal_perinatal_health/cs-statement/en/>. Acesso em: 04 nov. 2017.

ZUSE, C. L.; BRIGO, L.; SILVA, M. B. Diagnósticos e intervenções de enfermagem para pacientes das clínicas médica e cirúrgica de um hospital geral: relato de experiência. Vivências Erechim, v. 6, n. 9, 2010.
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Downloads

Não há dados estatísticos.