Prevalência da lombalgia em praticantes de ciclismo
Eduardo Willans dos Santos Vicente
Associação Paraibana de Ensino Renovado (ASPER)
Aliceana Ramos Romão de Menezes Araújo
Associação Paraibana de Ensino Renovado (ASPER)
PDF

Palavras-chave

Ciclismo
Dor lombar
Prevalência
Postura

Resumo

O ciclismo é uma das modalidades de esporte que vem crescendo nos últimos anos e em uma proporção semelhante, o aumento de lesões, tendo a lombalgia como a sintomatologia mais presente. O objetivo principal deste estudo foi avaliar a prevalência de lombalgia em ciclistas. A amostra foi composta por 20 participantes de ciclismo de ambos os sexos com idade entre 18 e 55 anos, com tempo de prática superior a 6 meses e que realizavam a atividade ao menos duas vezes por semana, sendo dividida em dois grupos, sendo eles: os participantes que realizavam apenas ciclismo (G1) e os que praticavam ciclismo e musculação (G2). Foi utilizado um questionário sociodemografico para traçar um perfil de cada participante, abordando questões relacionadas a prática da modalidade; a escala visual analógica de dor e o aplicativo Hudl Technique. Foi observado que o G1 apresentou maior número de participantes com dor lombar (50%), interferindo na prática da modalidade. O G2 alcançou um número menor na procura pelo profissional bikefit para adaptações na bicicleta quando comparado ao G1. A prevalência de lombalgia para esta pesquisa foi de 43,6%. Considerando os resultados obtidos, nota-se que a prática de musculação é favorável aos atletas dessa modalidade de esporte e que as alterações realizadas na bicicleta sem o devido conhecimento prévio é um fator importante no surgimento da lombalgia em ciclistas.

PDF