Concentração energética da indústria brasileira de metais não-ferrosos da metalurgia
Luiz Moreira Coelho Junior
Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Filipe Vanderlei Alencar
Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Maria Luíza Coelho Cavalcanti
Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Flávio Melo de Luna
Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Edvaldo Pereira Santos Júnior
Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
PDF

Palavras-chave

Economia da Energia
Matriz Energética
Indicadores
Concentração

Resumo

Este trabalho analisou o grau de concentração energética da indústria brasileira de metais não-ferrosos e outros da metalurgia (IBMNF), no período de 1970 a 2013. Os dados utilizados para mensuração da análise de mercado e concentração energética da IBMNF foram tidos do Balanço Energético Nacional (BEN), em toneladas equivalentes de petróleo (tep). O grau de concentração foi determinado por meio da Razão de Concentração [CR(k)], Índice de Herfindahl-Hirschman (HHI), Índice de Entropia de Theil (E), e Índice de Gini (G). De acordo com os estudos realizados, possibilitando concluir se a concentração da indústria brasileira metais não-ferrosos é alto ou média. O CR(2) apresentou uma média de 78,28%, mostrou uma alta concentração no consumo destas fontes energéticas. A Entropia de Theil ajustada teve uma média de 0,6356 durante o período estudado sendo um mercado com concentração fraca a media. O HHI classificou a concentração como forte (1970-2009) e pouco concentrado (2010-2013). O G classificou a desigualdade do consumo fraca a média (1970-2009) e desigualdade foi nula a fraca (2010-2013).

PDF