Percepções sobre a formação acadêmica, a inserção profissional e a atuação do psicólogo organizacional e do trabalho
Sâmela Matias Nóbrega
Centro Universitário Dr. Leão Sampaio (UNILEÃO)
Larissa Vasconcelos Rodrigues
Centro Universitário Dr. Leão Sampaio (UNILEÃO)
PDF

Palavras-chave

Psicologia
Área de atuação profissional
Capacitação profissional

Como Citar

Nóbrega, S., & Rodrigues, L. (2019). Percepções sobre a formação acadêmica, a inserção profissional e a atuação do psicólogo organizacional e do trabalho. Revista InterScientia, 7(1), 218-241. https://doi.org/10.26843/interscientia.v7i1.1038

Resumo

Este estudo descreve a percepção de 27 psicólogas (os) acerca da formação acadêmica, inserção no mercado de trabalho e atuação na área da Psicologia Organizacional e do Trabalho (POT) em Juazeiro do Norte, Ceará. Para tanto, utilizou-se como ferramenta o questionário online enviado aos sujeitos da pesquisa através das redes sociais Instagram e WhatsApp. A análise dos dados evidenciou cinco categorias que discutem sistematicamente: a discrepância na compreensão da POT enquanto campo teórico-prático na atualidade; as divergências de opinião quanto à formação acadêmica ofertada durante a graduação; a baixa inserção profissional na área; as restrições enfrentadas a atuação do psicólogo organizacional e do trabalho; e o potencial transformador das intervenções propostas no arcabouço teórico da POT. Com base nos resultados obtidos, compreende-se que a POT deve ser explorada em suas diferentes dimensões promovendo o aperfeiçoamento e a integração do campo, oportunizando assim uma maior clareza da área ao psicólogo organizacional e do trabalho.

PDF

Referências

AZEVEDO, Marcia Carvalho de; TONELLI, Maria José. Os diferentes contratos de trabalho entre trabalhadores qualificados brasileiros. Rev. Adm. Mackenzie, v.15, n.3, p. 191-220, 2014. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/ram/v15n3/a09v15n3.pdf>. Acesso em: 24 de outubro de 2018.

BASTOS, Antonio Virgílio Bittencourt. Psicologia organizacional e do trabalho: Que respostas estamos dando aos desafios contemporâneos da sociedade brasileira?. In YAMAMOTO, Oswaldo H.; GOUVEIA, Valdiney Velôso (org.). Construindo a psicologia brasileira: Desafios da ciência e da prática psicológica, São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.

BASTOS, Antonio Virgílio Bittencourt; GONDIM, Sônia Maria Guedes. O trabalho do psicólogo no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2010.

BERNARDO, Marcia Hespanhol et al. Linhas paralelas: as distintas aproximações da Psicologia em relação ao trabalho. Estudos de Psicologia, v.34, n.1, p.15-24, 2017. Disponível em: . Acesso em: 03 de julho de 2018.

BORGES, Livia de Oliveira; MOURÃO, Luciana. O trabalho e as organizações: atuações a partir da psicologia. Porto Alegre: Artmed, 2013.

BORGES-ANDRADE, Jairo Eduardo et al. Psicologia brasileira: uma análise de seu desenvolvimento. Universitas Psychologica, v. 14, n. 3, p. 865-879, 2015. Disponível em: . Acesso em: 02 de julho de 2018.

BRASIL. E-MEC: Sistema de Regulação do Ensino Superior. Ministério da Educação, 2018. Disponível em: . Acesso em: 03 de julho de 2018.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Resolução n° 03, de 05 de fevereiro de 2016. Altera a Resolução n°. 13/2007, que institui a Consolidação das Resoluções relativas ao Título Profissional de Especialista em Psicologia e dispõe sobre normas e procedimentos para seu registro. Disponível em: . Acesso em: 02 de julho de 2018.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Ano da formação em psicologia: Revisão das diretrizes curriculares nacionais para os cursos de graduação em psicologia, 2018. Disponível em: . Acesso em: 02 de julho de 2018.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. A psicologia brasileira apresentada em números, 2019. Disponível em: . Acesso em: 19 de junho de 2019.

COELHO-LIMA, Fellipe; BENDASSOLLI, Pedro Fernando; YAMAMOTO, Oswaldo Hajime. Características da Psicologia do Trabalho e das Organizações na Formação do Psicólogo no Brasil, Psico, Porto Alegre, v. 45, n. 4, p. 445-453, 2014. Disponível em: . Acesso em: 10 de julho de 2018.

COELHO-LIMA, Fellipe; COSTA, Ana Ludmila Freire; YAMAMOTO, Oswaldo Hajime. O exercício Profissional do Psicólogo do Trabalho e das Organizações: Uma Revisão da Produção Científica. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, v.11, n. 2, p. 21-35, 2011. Disponível em:. Acesso em: 24 de outubro de 2018.

FERRARINI, Norma da Luz et al. Formação do psicólogo brasileiro: impasses e desafios. International Journal of Developmental and Educational Psychology. Revista INFAD de Psicología: v.2, n.1, p.271-280, 2016. Disponível em: . Acesso em: 24 outubro de 2018.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GOULART, Íris Barbosa; SAMPAIO, Jade dos Reis (org.). Psicologia do trabalho e gestão de recursos humanos: estudos contemporâneos. 2 ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2013.

LEITE, Weslei Rangel et al. Análise das expectativas de psicólogos recém-formados. Revista de Psicologia, v. 14, n. 21, p. 105-125, 2011. Disponível em: . Acesso em: 03 de julho de 2018.

LHULLIER, Louise A. (org.). Quem é a psicóloga brasileira?: Mulher, psicologia e trabalho. Conselho Federal de Psicologia. Brasília: CFP, 2013. 157p.

MARTINS-SILVA, Priscilla de Oliveira; SILVA JUNIOR, Annor da; LIBARDI, Mayra Barcelos Amado de Oliveira. Psicologia Organizacional e do Trabalho: Relato de Experiência em Estágio Supervisionado. Psicologia Ciência e Profissão, Brasília, v.35, n.4, p.1327-1339, 2015. Disponível em: . Acesso em 09 de julho de 2018.

MELO, Maurício Luiz Marinho de. “Se conselho fosse bom ninguém dava”: a ética entre o cuidar e a fiscalização. Revista psicologia e saberes, v.1, n.1, p.69-73, 2012. Disponível em: . Acesso em: 03 de julho de 2018.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.); DESLANDES, Suely Ferreira; GOMES, Romeu. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 32 ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2012.

PINHEIRO, Leticia Ribeiro Souto; MARIO, Chaiana Luciana; GIACOMINI, Marta. A atuação do psicólogo organizacional e do trabalho no norte do Rio Grande do Sul. PERSPECTIVA, Erechim, v.36, n.136, p.123-132, 2012. Disponível em: . Acesso em: 03 de julho de 2018.

PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar de. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

RODRIGUES, Daniel; ZANIANI, Ednéia José Martins. A formação acadêmica do psicólogo e a construção do modo de Atenção Psicossocial. Pesquisas e Práticas Psicossociais, São João del Rei, v.12, n.1, p. 224-239, 2017. Disponível em:. Acesso em: 02 de julho de 2018.

TONETTO, Aline Maria et al. Psicologia organizacional e do trabalho no Brasil: desenvolvimento científico contemporâneo. Psicologia & Sociedade, Porto Alegre, v.20, n.2, p. 155-164, 2008. Disponível em: . Acesso em: 10 de julho de 2018.

VARGAS, Jocasta Mello de; ZAMPIERI, Ana Claudia Baraieri. As expectativas dos estudantes de psicologia sobre a atuação profissional no mercado de trabalho. In: I Mostra de Iniciação Científica do Curso de Psicologia da FSG, v.1, n.1, p. 275-290, 2014. Disponível em: . Acesso em: 25 de outubro de 2018.

VERIGUINE, Nadia Rocha. Transitando entre subjetividades e números: práticas de trabalho e sentidos da atuação para psicólogos organizacionais. 2015. 259 f. Tese (Doutorado em Psicologia) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015. Disponível:. Acesso em: 10 de julho de 2018.

VISC, Bruno; VASCONCELOS, Eveli Freire; PELLICIOLLI, Eduardo. O psicólogo organizacional e do trabalho na gestão de pessoas: perspectiva ética como competência primordial. Revista Foco, Espírito Santo, v.10, n.3, p.90-105, 2017. Disponível em: . Acesso em: 24 de julho de 2019.

ZANELLI, José Carlos. O psicólogo nas organizações de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 2009.

ZANELLI, José Carlos; BORGES-ANDRADE, Jairo Eduardo; BASTOS, Antonio Virgílio Bittencourt. Psicologia, organizações e trabalho no Brasil, 2. ed., Porto Alegre: Artmed, 2014.
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Downloads

Não há dados estatísticos.